terça-feira, 17 de outubro de 2017

O Livro Vermelho dos Cristãos

Amigos, aqui está o meu novo livro: O Livro Vermelho dos Cristãos. Esta é a segunda edição deste livro. A primeira edição foi publicada em 1989. Aqui está a introdução à segunda edição.

Introdução à Segunda Edição
A primeira pergunta que veio a minha mente quando pensei em reeditar este livro foi: Este assunto ainda é válido? A reposta foi imediata, um retumbante SIM! Infelizmente, um livro escrito na década de oitenta, isto é no século passado, ainda se mostra atual nos nossos dias.
Isto se deve a alguns fatores. Primeiro, o sistema político-eclesiástico ainda está em vigor, e em alguns lugares mais forte do que antes. Segundo, temos o surgimento de novas denominações, e com elas um sistema governamental e político. Terceiro, temos as igrejas independentes fundadas por pastores e outros líderes, que por causa do seu crescimento extraordinário se tornaram quase que uma denominação. A única diferença é que o poder está concentrado em uma pessoa, ou em um pequeno grupo que governa e dita os rumos das igrejas conectadas com eles.
O aparecimento desses novos grupos criou uma situação nova no movimento evangélico. Eles são liderados por pessoas que se intitulam “profetas”, “apóstolos”, e “bispos”. Por terem fundado a igreja, eles controlam todos os aspectos ministeriais e financeiros. Por serem considerados “ungidos do Senhor”, eles acabam tendo a última palavra, não só na vida da igreja, mas na vida das pessoas. Isso faz com que qualquer questionamento, seja visto como rebelião contra Deus e seu ungido.
Se você substituir concílios e comitês por pastores e seus auxiliares, a estória fará sentido, e será tão atual quanto foi no passado. Estes líderes querem ter todo o poder nas mãos, e toda oposição e pensamento diferente é tratado com força, para servir de exemplo para os outros.
A minha impressão é que eles pegaram O LIVRO VERMELHO DOS CRISTÃOS e deram uma turbinada nele, levando as sugestões de como adquirir e manter o poder a extremos.
Isto tem manchado o nome do Evangelho, mas também tem destruído pessoas com um chamado para o ministério. Jovens que, por causa do conhecimento das Escrituras ousam questionar estes líderes têm sido pisoteados ou pior, expulsos das suas congregações.
O grande desafio é a atitude para com a Palavra de Deus. A voz e as palavras destes supostos “apóstolos” é colocada no mesmo nível ou em alguns casos, acima da Palavra de Deus.
Não importa a sua idade, nem a sua igreja, você com certeza já presenciou alguns fatos como estes que serão narrados aqui nesta estória. Você já esteve de um lado ou de outro em alguns destes eventos. Infelizmente, alguns de você trazem marcas doloridas por causa deles.
A minha intenção não é só expor o problema das nossas igrejas. A minha intenção a fazer com que as pessoas reconheçam que isto é um problema, e trabalhem para evitar que ele continue. Se este livro conseguir redirecionar a situação política de uma única congregação, não importa o seu tamanho, eu me darei por satisfeito.
Está na hora de pararmos de destruir a igreja, de usarmos a igreja para os nossos próprios benefícios, e começarmos a buscar o Reino de Deus e Sua justiça. Está na hora de colocarmos o Senhor e Sua Palavra em primeiro lugar, está na hora de colocarmos os nossos irmãos e irmãs acima de nós, para que o mundo veja como uma igreja deve ser.

Você pode adquiri-lo no Amazon: 
Deus te abençoe,

Pastor Lucas

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Vamos lá Senhor, me dá um tempo! – Conclusão

“Todo mundo tem uma história de dor para contar.” Isto é o que um amigo e colega costumava dizer. Todos nós temos. Vivemos em um mundo quebrado, e nós também somos quebrados. O profeta Isaías coloca isto de uma maneira muito bonita: “Então disse eu: Ai de mim! pois estou perdido; porque sou homem de lábios impuros, e habito no meio dum povo de impuros lábios; e os meus olhos viram o rei, o Senhor dos exércitos!.” Isaías 6:5.”
Os Salmos de lamento descrevem situações reais que pessoas reais estavam passando em suas vidas. Eles não são ficção ou poemas criados para retratar a dor e o sofrimento humano. Não, os salmistas estavam passando por um momento muito difícil e decidiram compartilhar sua experiência com os outros. Nós somos abençoados por ter esses Salmos em nossas mãos. Deixe-me compartilhar com você por que.
Em primeiro lugar, porque eles nos mostram que todos estamos sujeitos a este tipo de situação. Às vezes pensamos que as coisas acontecem só com a gente. Nós somos os únicos a passar por dificuldades ou por esse tipo específico de dificuldades. Os salmistas experimentaram um pouco de tudo. Eles enfrentaram os inimigos de dentro e de fora. Eles lutaram no seu relacionamento com Deus. Foram maltratados por amigos e familiares. Eles tiveram que lidar com seus próprios pecados e erros.
A segunda razão para sermos abençoados com esses Salmos é que eles nos ensinam como ser verdadeiros com Deus no meio do nosso sofrimento. Os salmistas nos ensinam a orar e a dizer coisas que às vezes pensamos que seria errado dizer a Deus. Aprendemos com eles a sermos sinceros em nossas orações e clamores. Se dói, diga. E diga como é sem rodeios. Pensamos que se nós não dizemos, Deus não saberá o que estamos sentindo. Que baita estupidez. A Bíblia nos diz que Deus sabe o que estamos pensando e sentindo antes mesmo de podermos expressá-lo em palavras. Então, se você está passando por um momento difícil, abra a boca e diga.
A última razão por que somos abençoados com esses Salmos é que eles são supostamente para nos dar esperança e nos encorajar. Em todos esses Salmos temos os salmistas se vindo diante do Senhor com uma palavra de confiança e fé. Eles estão desesperados, eles reclamam, mas sempre chegam à conclusão de que Deus é um Deus poderoso, Ele é um Deus bom e misericordioso, e Ele sabe o que está acontecendo em nossas vidas.
Então, o meu desafio para você não é só ler os Salmos, mas também orá-los. Se você olhar com cuidado, você vai encontrar um salmo que descreve sua situação e seus sentimentos. Faça deles as suas palavras; mergulhe em seus versos. Abra seu coração para Deus e peça a Ele para intervir na sua situação. Não tenha medo, Deus está contigo e Ele está escutando.
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Vamos lá Senhor, me dá um tempo! – Eu quero voltar!

Você alguma vez se afastou tanto de Deus e de Sua igreja ao ponto de se sentir um estranho à sua própria fé? As pessoas vinham a você e perguntavam sobre o seu Deus, sua igreja e sua fé, e você não tinha nada a dizer?
Essas situações têm a capacidade de trazer sentimentos e memórias que dizem quão importante esse grupo de pessoas era em sua vida e desenvolvimento e o quanto você sente falta delas. Você se lembra de seu professor de escola dominical, os pastores, os presbíteros, os programas, a adoração e a música, até mesmo as mancadas que cada igreja experimenta. Você só gostaria de poder voltar atrás.
No Salmo 42, encontramos um interessante apelo do salmista. Ele está pedindo a Deus para deixá-lo voltar. Ele se encontra em uma terra estranha e diferente e não aguenta mais. Às vezes deixamos por nossa própria vontade, nós não gostamos da igreja; outras vezes nós precisamos mudar por outras razões, tais como escola, trabalho, etc. Mas às vezes deixamos como resultado da vontade de outras pessoas. Este é o caso do salmista. Ele está na Babilônia no exílio. Ele foi levado cativo.
Seu grito é: “Salmo 42: 1-2 Como o cervo anseia pelas correntes das águas, assim a minha alma anseia por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e verei a face de Deus?” Ele quer voltar para Deus. Ele diz, “minha alma anseia por ti, Ó Deus.” Ele quer ter um relacionamento com Deus bom e saudável. Ele tinha tido no passado, e ele quer ter novamente. Às vezes Deus nos permite experimentar um deserto em nossa jornada espiritual, para que possamos lembrar que Ele é a fonte da água viva.
Mas não é só de Deus. Ele sente falta da igreja, das celebrações: “Salmo 42:4 Dentro de mim derramo a minha alma ao lembrar-me de como eu ia com a multidão, guiando-a em procissão à casa de Deus, com brados de júbilo e louvor, uma multidão que festejava.” Quantas vezes você já foi transportado para um tempo esquecido só por ter ouvido um hino ou lido um versículo da Bíblia?
É interessante que as pessoas ao redor do salmista, mesmo não acreditando em Deus, foram usadas por Deus para empurrá-lo na direção de Deus. Eles continuam a perguntar-lhe: “Salmo 42:3 Onde está o teu Deus?” O desafio do salmista é que nesse ponto de sua vida ele se encontra, como diz o mineiro: “entre a cruz e a caldeirinha”. Ele anseia para sair mas a realidade não permite que ele o faça.
O que você pode fazer se você, um membro da sua família, ou um amigo está em uma situação semelhante? O salmista em todo este Salmo nos ajuda a lidar com este tipo de situação. A primeira coisa que ele faz é se lembrar. “Salmo 42:6 ó Deus meu, dentro de mim a minha alma está abatida; porquanto me lembrarei de ti desde a terra do Jordão, e desde o Hermom, desde o monte Mizar.” Mantenha as memórias de Deus e desses momentos especiais vivas em seu coração.
A segunda coisa é ter a certeza que Deus te ama e cuida de você. Isto é o que o salmista canta: “Salmo 42:8 Contudo, de dia o Senhor ordena a sua bondade, e de noite a sua canção está comigo, uma oração ao Deus da minha vida.” Nunca se esqueça que Deus te ama.
A próxima coisa que aprendemos é apresentar as nossas orações, clamares e pedidos ao Senhor. Se você está enfrentando o exílio de Deus levante a sua voz e peça a Ele para ajudá-lo e deixá-lo voltar para Ele (vs. 9).
Finalmente, nunca perca a esperança. Não importa o quão longe você acha que você está de Deus, tenha sempre esperança que Deus vai agir e mudar sua situação. Duas vezes ele diz isso: “Salmo 42:11 Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele que é o meu socorro, e o meu Deus.” Esperança permitirá que você cante no meio das adversidades. 
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Vamos lá Senhor, me dá um tempo! – Se estou te seguindo, por que eu ainda estou sendo perseguido?


Este Salmo começa dizendo que ele foi resgatado do poço. Ele reconhece que Deus o salvou e o restaurou. Isto é o que ele diz: “ Salmo 40:2 Também me tirou duma cova de destruição, dum charco de lodo; pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos.”
Louvor e adoração seguiram essa redenção. Davi reconhece que ele não conseguiu sair do poço sem a ação de Deus e por causa disto ele era grato. “Salmo 40:3 Pôs na minha boca um cântico novo, um hino ao nosso Deus;”
Ele continua a afirmar que essa redenção foi mais do que apenas uma pequena ajuda. Davi reconhece que a redenção significa a rendição de toda a sua vida ao Senhor. Isto é como ele coloca: “Salmo 40:6 Sacrifício e oferta não desejas; abriste-me os ouvidos; holocausto e oferta de expiação pelo pecado não reclamaste.” A expressão “abriste-me os ouvidos” é uma referência à servidão voluntária (Ex. 21:5-6).
Davi também menciona seu desejo de fazer a vontade do Senhor. “Salmo 40:8 Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração.” Ele não quer ser um servo nominal. Ele realmente quer seguir o Senhor, obedecer Seus mandamentos e obedecer a Sua lei.
Finalmente, Davi diz que ele vai proclamar a justiça do Senhor. Ele está fazendo um voto de ir a público com a sua decisão de seguir o Senhor. “Salmo 40:9 Tenho proclamado boas-novas de justiça na grande congregação; eis que não retive os meus lábios;”
Provavelmente, como eu, você está pensando, Uau este Davi está fazendo tudo o que ele pode para ser um bom membro da família de Deus. Ele foi resgatado, ele oferece adoração e louvor, e ele dedica sua vida para servir ao Senhor. O Senhor vai protege-lo e ajudá-lo, certo? Não necessariamente. Fazer tudo certo não é garantia de que nossa vida será sem problemas.
David aprendeu isso. Ele reclama que mesmo que ele estivesse fazendo tudo o que ele podia os problemas ainda estavam lá. “Salmo 40:12 Pois males sem número me têm rodeado; as minhas iniquidades me têm alcançado, de modo que não posso ver; são mais numerosas do que os cabelos da minha cabeça, pelo que desfalece o meu coração.”  E eles não eram poucos. Eles estavam vindo de tudo quanto é canto. Ele menciona seus pecados e os inimigos que o cercavam. Sim, os inimigos ainda estão lá. Estas são as expressões que Davi usa para descrever suas ações: “os que buscam a minha vida para destruí-la; “os que me dizem: Ah! Ah!”
Como o Davi, às vezes nós nos encontramos fazendo tudo certo e apesar disso continuamos a experimentar problemas e provações. Durante estes momentos devemos agir como Davi agiu, continue a fazer a coisa certa e implorar ao Senhor para nos salvar e nos ajudar. Vamos orar usando palavras de Davi: “Salmo 40:17 Eu, na verdade, sou pobre e necessitado, mas o Senhor cuida de mim. Tu és o meu auxílio e o meu libertador; não te detenhas, ó Deus meu.”
Tenha uma semana abençoada,
Pastor Lucas