sábado, 29 de dezembro de 2012

Ano Novo, Compromisso Novo



O Ano Novo está aí. O clima já é de festa, as celebrações já começaram, e a contagem regressiva para o próximo ano já está em pleno andamento. Esta é a época do ano quando nós fazemos todas aquelas resoluções, como: comer menos, fazer mais exercicios, parar de fumar, etc. Nós sabemos muito bem, já passamos por isto antes. Mas eu gostaria de te desafiar com algo diferente. Eu gostaria de desafiar você a não fazer resoluções, mas sim NOVOS COMPROMISSOS. Compromissos que irão mudar a sua vida em todos os aspectos. Estes compromissos não são muito complicados, mas eles vão requerer um pouco de disciplina da sua parte para mantê-los.
Você vai sentir o impacto destes compromissos na sua vida. Pessoas ao teu redor, como familia, amigos, e colegas, vão notar a diferença que vai ocorrer em voce. Estas mudanças vão começar dentro de você na sua alma e espírito e vão se manifestar na sua vida.
Tente mantê-los simples. Não se comprometa com muitas coisas, senão voce não vai conseguir. Eu decidi sugerir cinco compromissos, voce pode designar cada um para um dedo da mão, assim você se lembrará facilmente deles.
Aqui estão:

1. Leia a Bíblia

O primeiro deles é ler a Bíblia. Parece simples, mas acredite, não é. Eu sei do que estou falando. A Bíblia é um livro grande e por isso intimida. A maioria das Bíblias tem paginas com duas colunas e letras bem pequenas, o que faz a leitura mais difícil. Os outros desafios são as traduções, dependendo da tua Bíblia, o Português será antiguado, o que atrapalha o entendimento. Tente achar uma Bíblia com um Portugues moderno para que a leitura possa fluir de uma maneira fácil. Eu vou colocar toda a semana sugestões para leituras diárias, desta forma você poderá manter uma disciplina na sua leitura da Bíblia.

2. Melhore a sua vida de oração

O segundo compromisso é melhorar a sua vida de oração. Comece a orar de forma regular, de manhã, antes das refeições, e à noite. Existem cinco coisas que fazemos na oração: a. Nós louvamos e adoramos a Deus; b. Nós agradecemos a Deus por aquilo que Êle tem feito nas nossas vidas; c. Nós confessamos os nossos pecados e falhas e recebemos o Seu perdão; d. Nós intercedemos por pessoas que precisam da ajuda de Deus em suas vidas; e. E, finalmente nós pedimos pelas nossas necessidades pessoais. Você não precisa fazer todas estes tipos de oração todas as vezes que orar, mas estes passos vão te ajudar a coordenar a sua vida de oração.

3. “Plug in” numa igreja

O terceiro compromisso é “plug in” numa igreja local. Talvez a palavra mais perto para este compromisso seja ligar-se a uma igreja. Eu não estou falando de visitar uma igreja semanalmente. A idea the ligar-se vai um pouco mais fundo. É a idea de fazer parte de uma igreja e deixar a igreja fazer parte de voce. Voce se doa para a igreja e a igreja se doa para voce. É uma conecção mais profunda e forte entre voce e a igreja. Por isso voce deve ser cuidadoso ao procurar uma igreja para se tornar membro. Eu entendo que muitas pessoas com esta desculpa de procurar uma igreja adequada e boa acabam não se filiando a nenhuma igreja. Esta não é a intenção aqui. Ache uma igreja, faça a decisão de se tornar membro e participe da melhor maneira possível.

4. Compartilhe as Boas Novas com alguém

O quarto compromisso é compartilhar as Boas Novas com alguém. Eu sei que muitas pessoas tem dificuldade com este aspecto da vida Cristã, mas não se esqueça que isto é o que Jesus pediu para os seus discípulos. Não existe vida Cristã sem o compartilhamento das Boas Novas com outras pessoas. Voce pode usar folhetos, internet, videos, conversação, email, etc. Existem muitas maneiras para se fazer isto, são tantas que fica difícil explicar uma delas aqui. O importante é que pessoas precisam saber que Deus as ama, eles precisam saber que não podem salvar a si mesmos, eles precisam saber que Jesus veio para salvá-los e conectá-los com Deus, e eles precisam saber que a fé é o instrumento para receber o que Jesus fez por eles.

5. Mostre o amor de Deus de uma forma prática

Finalmente, o quinto compromisso é mostrar o amor de Deus de uma forma prática. Um Cristão real deve manifestar o amor de Deus através de boas obras. Voce pode fazer isto de uma forma pessoal, voce pode fazer isto involvendo-se num ministério da igreja que ajuda outras pessoas, voce pode fazer isto com a sua família, ou voce pode fazer isto voluntariando em uma das muitas organizações filantrópicas que existem. Nós não temos desculpas por não mostrar o amor de Deus para outras pessoas.
Cinco compromissos para o Ano Novo. Tome uma decisão e resolva fazer estes compromissos neste ano que começa. Voce vai experimentar uma tremenda transformação na sua vida pessoal, e as pessoas ao teu redor verão esta transformação.
Tenha um abençoado 2013,
Pastor Lucas

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Natal às Avessas



Estamos nos aproximando de mais um Natal. A Cristandade se prepara para as comemorações do nascimento do Senhor Jesus. Mas ao nos depararmos com nossa realidade e a compararmos com as narrações bíblicas notamos uma disparidade enorme. Um grande abismo separa as duas coisas, os dois eventos. Um é o Natal comemorado hoje; outro, completamente diferente. é o Natal narrado nos Evangelhos. O Natal de hoje é um natal às avessas, totalmente oposto àquele primeiro Natal. E é bom lembrarmos essas grandes diferenças que fazem contraste entre o Natal de hoje e aquele original. 
O primeiro avesso do Natal contemporâneo é a suntuosidade em comparação à humildade. O primeiro Natal foi um Natal humilde. A hospedagem era pobre, não havia berço para o recém-nascido: uma manjedoura serviu para acolhê-lo. A famlia era humilde. formada na classe pobre, operaria. A comida devia ser escassa, a situação não era cômoda nem agradável. Hoje nada disso é lembrado. O Natal ao avesso é comemorado com grandes apresentações, muita comida, festas enormes, mostrando que hoje Natal é sinônimo de suntuosidade, esbanjamento. Aquela mensagem de humildade do primeiro Natat perdeu-se totalmente no tempo e no espaço, dando lugar à vaidade e ao desperdício. 
O segundo avesso do Natal é o comércio em contrapartida à simplicidade. No primeiro Natal as pessoas são simples, o local é simples. Os visitantes. com exceção dos magos, são pastores que cuidavam dos seus rebanhos, pessoas extremamente simples. O que temos hoje nas comemorações do Natal é um desenfreado abuso do comércio. Pessoas comprando e vendendo. Vendendo o que podem e Comprando o que não podem. Encontramos gente fazendo dívida para todo o ano que vem. O nascimento e o nome de Jesus são usados para estimular o povo a comprar. Jesus virou garoto-propaganda. E, pelo jeito, muito eficiente. 
O terceiro avesso do Natal é o paganismo que se opõe abertamente ao cristianismo puro apresentado nas Escrituras. A realidade espiritual há multo foi esquecida para dar lugar a personagens e símbolos pagãos. O Natal é a prova do amor de Deus pelo pecador, e por isso deveria nos levar a meditar sobre salvação, perdão de pecados, vida eterna e outros temas que estão impIícltos no nascimento de Jesus. Mas, hoje em dia, quando nos referimos ao Natal, o personagem que nos vem à mente é, sem sombra de dúvida, Papai Noel. Os símbolos que nos ocorrem são todos pagãos, com significados próprios, como o pinheirinho, as velas, as trocas de presentes e os enfeites nas portas. Assimilamos, infelizmente, a comemoração pagã do Natal, e nos esquecemos da grande realidade espiritual que ele envolve, que é o nascimento de Jesus para salvar as pessoas dos seus pecados e religá-las a Deus. 
Oueridos, não vamos, mais uma vez, comemorar o Natal às avessas. Vamos comemorá.lo no seu verdadeiro sentido: humildade, simplicidade e profunda realidade espiritual. 
Que Deus nos abençoe,
Pastor Lucas

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Seminarista Rasga Bíblia no Sermão de Prova

Seminarista Rasga a Bíblia from Lucas Pina on Vimeo.


Está história verdadeira aconteceu no final de 1979. Eu estava no meu último ano do Seminário. Foram quatro longos anos de apredizagem teórica e prática. Na classe de Homilética (a arte de pregar) nós tínhamos que apresentar um sermão todo o ano. Nos dois primeiros anos o sermão era apresentado na sala de aula, acompanhado por críticas dos colégas e do professor. Nos últimos dois anos era apresentado durante o culto com a presença de todo o seminário e professores, e a crítica era feita somente pelos professores. Nestes dois cultos o seminarista tinha a responsabilidade não somente de pregar mas de preparar e dirigir todo o culto.
Durante aquele tempo, por incrível que pareça, a grande discussão na minha denominação era o uso de expressões corporais no culto, como bater palmas, levantar as mãos, etc. Naquele ano o secretário nacional de mocidade fez uma visita ao seminário onde ele deu a entender que estas expressões eram próprias de terreiro de macumba e outros cultos pagões. A discussão ficou acalorada, com grupos entre seminaristas tomando posição contra ou a favor.
A discussão, estava tomando uma direção que não era sadia, estava se afastando das Escrituras, que em nossa teologia deveria ditar a nossa forma de agir e também o nosso culto a Deus, e indo para o lado político. E todos sabem que quando política se envolve com teologia o resultado é disastroso.
O dia do meu sermão de prova estava chegando e eu decidi pregar sobre as Escrituras, sua autoridade sobre todas as àreas de nossa vida. O texto escolhido foi o de 2 Timóteo 3, onde o apóstolo Paulo coloca de forma clara a autoridade e a utilidade das Escrituras.
Eu compartilhei com alguns colegas a minha intenção de usar uma ilustração mais contudente. Eu iria rasgar a Bíblia no púlpito durante o meu sermão de prova. Alguns gostaram da idéia, outros ficaram preocupados com as consequências.
O meu sermão de prova foi marcado para uma Quinta-Feira. O Salão Nobre do Seminário estava lotado, parecia que os alunos desconfiavam que algo diferente ia acontecer. Eu levei para o púlpito alguns livros, tipo Greek Lexicon, Dicionário, e minha Bíblia. Entre eles um livro que parecia  com a Bíblia, mas na verdade era um livro que eu comprei num sebo (livraria que vende e troca livros usados). Eu usaria aquele livro para rasgar as páginas. Eu coloquei aquele livro em cima da minha criando o efeito para aqueles que olhavam da congregação para o pulpito a impressão de que eu estava lendo os versículos daquele livro, sendo que na verdade eu estava lendo na Bíblia.
O efeito funcionou perfeitamente, como vocês ouviram. Quando eu comecei a rasgar a Bíblia vocês podem ouvir a reação do auditório. Depois do culto muitos colegas foram até o púlpito checar as páginas que joguei no chão, se eram mesmo da Bíblia ou não. O audio, infelizmente não é dos melhores, um colega decidiu gravar o sermão e me deu o tape de presente. Eu finalmente consegui passar para MP3 e agora compartilho com vocês.
Infelizmente a discussão não mudou nestes 33 anos. A igreja continua debatendo este tópico. Na minha época algumas igrejas resolveram mudar a metodologia, não somente no culto, mas também na maneira de desenvolver o ministério. Elas foram perseguidas e pastores foram taxados de tudo quanto é nome. Eu escrevi um livro sobre aquela época chamado “A Doutrina da Gravata”, livro este que estarei lançando a segunda edição em breve.
Com aquele sermão eu aprendi uma lição importante que tenho usado desde então, o poder da imagem e ilustração visual. Por muitos anos eu tive a grata alegria de encontrar com colegas que estiveram presente naquele culto e que lembravam vividamente da mensagem.
O meu desejo em compartilhar com você este sermão é mostrar que a Bíblia ainda é a nossa única regra de fé e prática, e que devemos nos esforçar ao máximo para comunicá-la de uma forma correta e impactante.
Que Deus te dê graça para ser fiel e criativo na comunicação da Sua Palavra.
Deus te abençoe,
Pastor Lucas