terça-feira, 26 de junho de 2018

A vida depois da Páscoa – Missão

Cristo está vivo! Ele realmente está vivo! O que devemos fazer com esta informação maravilhosa? Se nós realmente acreditamos que nosso Senhor Jesus Cristo ressuscitou dos mortos, qual deveria ser a nossa reação? Conhecer e crer que Ele está vivo exige de nós alguma ação, e esta é a nossa missão.
A ressurreição de Cristo é um evento que deve ser comemorado todos os dias de nossas vidas. Portanto, nossa primeira missão é reconhecer e desfrutar nosso Senhor que está vivo. Este evento deve trazer uma alegria incontida e maravilhosa ao nosso coração “Lucas 24:41 Não acreditando eles ainda por causa da alegria, e estando admirados, perguntou-lhes Jesus: Tendes aqui alguma coisa que comer?"Esta alegria deve ser acompanhada de louvor e adoração. Como você sabe a primeira igreja mudou o dia de adoração tradicional de sábado para domingo (o primeiro dia da semana) por causa da ressurreição de nosso Senhor. Às vezes chegamos ao culto e parece que viemos a um funeral. Parece e soa como se o Senhor ainda estivesse no túmulo. Domingo deve ser um dia especial na vida da igreja. É o dia em que celebramos o Senhor ressuscitado.
Outro aspecto da nossa missão que é afetado pela ressurreição é a nossa vida. A morte de Cristo pagou por nossos pecados, mas sua ressurreição produz uma nova vida dentro de nós. Isto é o que Paulo escreveu aos romanos: “Romanos 6:4 Fomos, pois, sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.”Em Cristo morremos para nossa antiga vida, e em Cristo fomos ressuscitados para uma nova vida. Os cristãos devem demonstrar uma nova vida, uma vida ofertada pelo Cristo ressuscitado. Talvez você acha que não tem capacidade de viver esse tipo de vida. Você está certo, nenhum de nós tem. Esta nova vida só é vivida pelo poder da Ressurreição através do Espírito Santo.
Finalmente, temos de proclamar, ensinar, falar, e compartilhar que Jesus está vivo, Ele está conosco, e Ele está em nós. As boas novas sobre a ressurreição de Jesus não podem ficar trancadas dentro das paredes das nossas igrejas. A vida, a esperança, e a salvação devem ser compartilhadas com todos. Isso é uma ótima notícia digna de ser proclamada. A igreja primitiva entendeu isso e a ressurreição de Cristo foi o tema principal em sua proclamação: “Atos 4:2 doendo-se muito de que eles ensinassem o povo, e anunciassem em Jesus a ressurreição dentre os mortos,”Os apóstolos ensinavam o povo e proclamavam a ressurreição dos mortos em Jesus. Morte não teria mais a palavra final. Há esperança e salvação. Os apóstolos estavam dizendo a todos sobre o que viram e ouviram. “Atos 4:33 Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.”
Meu amigo, se acreditamos na ressurreição de Cristo, nós devemos adorá-lo com alegria em nossos corações; devemos viver uma vida nova, fortalecida pelo Espírito Santo; e devemos partilhar com as pessoas ao nosso redor, através de atos e palavras, que Cristo está vivo e Ele ainda pode transformar vidas.
Tenha uma semana abençoada,
Pastor Lucas

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Estágios de Mudança - 6

Olá amigos, este é mais um Pingo de Prosa com o pastor Lucas Pina.
Hoje nós vamos continuar a nossa prosa sobre imigrantes e imigração
Os Estágios de Mudança
Neste pingo de prosa nós vamos ver os estágios que todos nós, que um dia mudamos, temos que passar.
Mudar para um outro país vai produzir mudanças, e nós teremos que aprender a nos adaptar neste novo lugar. Mas não somente nós, estas mudanças vão afetar o povo que vive nesta Pátria. Eles também vão ter que adaptar a estas mudanças. E muitas vezes eles não estão preparados para as mudanças que os imigrantes trazem.
Quando eu era pastor em Belo Horizonte eu fui convidado a fazer o casamento de dois membros da minha igreja, no sul do País. Eu vou deixar alguns detalhes de lado, mas você pode imaginar o meu susto quando eu cheguei na cidade e a igreja Católica não estava na praça principal, mas sim a Luterana. Este só foi o começo. A língua foi o próximo choque. Muito pouca gente falava Português. Eu tinha que usar tradutores para me comunicar. NO BRASIL! Eu aprendi que o governo brasileiro teve que passar uma lei obrigando as escolas a ensinarem Português, já que esta era a língua oficial do Brasil.
Se nós brasileiros, nos chocamos, imagina o Americano que tem que reaprender a viver por causa dos imigrantes. Se nós que temos jogo de cintura nos assustamos, imagina eles.
No próximo vídeo continuaremos a falar destas mudanças e como os moradores reagem.
Não esqueça de compartilhar este vídeo com os seus amigos e na sua rede social, e também de subscrever no meu canal: UM PINGO DE PROSA.
Um abraço.
Pastor Lucas

sexta-feira, 15 de junho de 2018

A vida depois da Páscoa – Aprendizagem

Ressurreição – o evento que abalou o mundo inteiro, não só o físico, mas também o espiritual. Este evento abriu as portas para possibilidades nem sequer imaginadas. Jesus de Nazaré realizou algo tão extraordinário que até hoje ainda estamos celebrando e falando sobre isso.
Este evento é tão importante que devemos aprender mais sobre o assunto. Quando recitamos o Credo dos Apóstolos, confessando nossa fé, afirmamos: “...no terceiro dia ele ressuscitou dentre os mortos;”  muitas vezes não temos a menor ideia de quão importante esta declaração e a crença é. O nascimento, morte e ressurreição de Cristo são os pontos centrais no cristianismo. O cristianismo verdadeiro não existiria sem uma delas.
Então, o que aprendemos com a ressurreição? Quais são as lições que devemos tirar com este acontecimento extraordinário? Deixe-me compartilhar algumas com você. 
1. A ressurreição foi mencionada nas Escrituras – isto é o que Jesus disse aos discípulos no caminho de Emaús: “Lucas 24:25-27 Então ele lhes disse: ó néscios, e tardos de coração para crerdes tudo o que os profetas disseram! Porventura não importa que o Cristo padecesse essas coisas e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicou-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras.”O apóstolo Paulo também afirmou isto em sua carta aos Coríntios: “1 Coríntios 15:3-5 Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as Escrituras; que apareceu a Cefas, e depois aos doze;”
2. Jesus não é um homem comum– a ressurreição torna clara para nós que Jesus está em uma categoria totalmente diferente. Ele fez declarações que ninguém poderia fazer. Quando ele falou com Marta em frente ao túmulo de Lázaro, Ele disse isso para ela:“João 11:25-26 Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto?”Ele é mais que um homem comum. Ele é Deus encarnado. 
3. Jesus tinha uma missão a cumprir e a ressurreição foi uma parte importante – às vezes pensamos que a missão de Jesus era morrer pelos nossos pecados. Para estes, a Cruz é o evento principal e todos os outros aspectos de sua vida são apenas uma fração insignificante da história. Eles não poderiam estar mais errados. Cada aspecto e parte da vida de Jesus é importante em Sua missão. A ressurreição não é diferente. Sem a ressurreição, não há nenhuma salvação. Isto é o que Pedro escreveu: “1Pedro 3:21-22 que também agora, por uma verdadeira figura - o batismo, vos salva, o qual não é o despojamento da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo, que está à destra de Deus, tendo subido ao céu; havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as potestades.”
4. Nós ressuscitaremos também– é por causa da ressurreição de Cristo que podemos ter certeza de que vamos ressuscitar dos mortos. Nossa esperança está baseada no seu nascimento, vida, morte e ressurreição. Estamos unidos com Cristo, não só em sua morte, mas também na sua ressurreição. Isto é o que Paulo escreveu: “Romanos 6:5 Porque, se temos sido unidos a ele na semelhança da sua morte, certamente também o seremos na semelhança da sua ressurreição;”
Como você pode ver meu amigo, a ressurreição tem muitas lições para nós. Minha oração é que, enquanto você ler estes e outros textos sobre a ressurreição de Cristo, você tenha a mesma sensação que tiveram os discípulos de Emaús: “Lucas 24:32 E disseram um para o outro: Porventura não se nos abrasava o coração, quando pelo caminho nos falava, e quando nos abria as Escrituras?”
Tenha uma semana abençoada,
Pastor Lucas

terça-feira, 12 de junho de 2018

Estágios de Mudança - 5

Olá amigos, este é mais um Pingo de Prosa com o pastor Lucas Pina.
Hoje nós vamos continuar a nossa prosa sobre imigrantes e imigração
Os Estágios de Mudança
Neste pingo de prosa nós vamos ver os estágios que todos nós, que um dia mudamos, temos que passar.
Mudar para um outro país vai produzir mudanças, e nós teremos que aprender a nos adaptar neste novo lugar.
Nós teremos que fazer deste novo país Uma Nova Pátria.
No vídeo anterior nós vimos que segunda atitude é Adaptar à Nova Pátria. Em vez de duplicar e recriar a sua pátria, eles fazem uma síntese da cultura que eles deixaram para trás e a nova cultura. Eles apreciam e usufruem da nova pátria, mas ao mesmo tempo eles ajudam a mudar esta pátria.
Normalmente a primeira geração vai recriar a sua pátria, enquanto que os seus filhos vão se adaptar à nova Pátria. Neste momento os imigrantes vão ter que lidar com Três Pátrias:
1. Na memória, eles carregam a Pátria onde nasceram.
2. No dia a dia eles vivem na Pátria que eles recriaram.
3. E no relacionamento com seus filhos eles são desafiados a mergulhar na nova cultura.
Para vocês terem uma ideia de como isto é complicado, No sistema escolar de Atlanta mais de 50 línguas diferentes são faladas nas casas das crianças que frequentam as escolas. Esta diversidade muda tudo.
No próximo vídeo continuaremos a falar destas mudanças e como os moradores reagem.
Não esqueça de compartilhar este vídeo com os seus amigos e na sua rede social, e também de subscrever no meu canal: UM PINGO DE PROSA.
Um abraço.
Pastor Lucas

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Estágios de Mudança - 4

Olá amigos, este é mais um Pingo de Prosa com o pastor Lucas Pina.
Hoje nós vamos continuar a nossa prosa sobre imigrantes e imigração
Os Estágios de Mudança
Neste pingo de prosa nós vamos ver os estágios que todos nós, que um dia mudamos, temos que passar.
Mudar para um outro país vai produzir mudanças, e nós teremos que aprender a nos adaptar neste novo lugar.
Nós teremos que fazer deste novo país Uma Nova Pátria.
No vídeo anterior nós vimos que a primeira atitude é Recriar a sua Pátria.
Isto é uma reação comum entre todos os imigrantes em todos os lugares do mundo.
A segunda atitude é Adaptar à Nova Pátria. Em vez de duplicar e recriar a sua pátria, eles fazem uma síntese da cultura que eles deixaram para trás com a nova cultura. Eles apreciam e usufruem da nova pátria, mas ao mesmo tempo eles ajudam a mudar esta pátria.
Normalmente a primeira geração vai recriar a sua pátria, enquanto que os seus filhos vão se adaptar à nova Pátria.
No próximo vídeo continuaremos a falar destas mudanças e como nós podemos adaptar a esta nova Pátria.
Não esqueça de compartilhar este vídeo com os seus amigos e na sua rede social, e também de subscrever no meu canal: UM PINGO DE PROSA.
Um abraço.
Pastor Lucas

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Estágios de Mudança - 3

Olá amigos, este é mais um Pingo de Prosa com o pastor Lucas Pina.
Hoje nós vamos continuar a nossa prosa sobre imigrantes e imigração
Os Estágios de Mudança
Neste pingo de prosa nós vamos ver os estágios que todos nós, que um dia mudamos, temos que passar.
Mudar para um outro país vai produzir mudanças, e nós teremos que aprender a nos adaptar neste novo lugar.
A Nova Pátria.
Quando as pessoas chegam até aquele ponto onde elas tem que decidir se vão ficar ou vão voltar, e decidem ficar. Eles decidem fazer daquele país a sua nova pátria.
Normalmente existem duas maneiras de fazer isto. A primeira é Recriar a sua Pátria.
Isto é uma reação comum entre todos os imigrantes em todos os lugares do mundo. Como Você pode ver, eu estou aqui em Orlando, numa área dominada por brasileiros. Você encontra de tudo por aqui. 
Na minha mão eu tenho um jornal brasileiro voltado para os imigrantes.
Isto não é somente na nossa área, mas em Nova York nós temos, “Chinatown”, “Little Italy”, etc. No Brasil nós temos o bairro da Liberdade, dominado pelos asiáticos, o Bexiga, com os Italianos, Holambra, com os Holandeses. Isto é algo comum.
No próximo vídeo continuaremos a falar destas mudanças e como nós podemos criar a nossa Pátria.
Não esqueça de compartilhar este vídeo com os seus amigos e na sua rede social, e também de subscrever no meu canal: UM PINGO DE PROSA.
Um abraço.
Pastor Lucas

quarta-feira, 30 de maio de 2018

A vida depois da Páscoa – Perseguição

O que deveria ser a experiência humana mais emocionante tornou-se a razão para a pior e mais cruel perseguição na história da humanidade. Não foi somente durante o começo; continuou ao longo da história. Infelizmente, hoje estamos testemunhando uma das piores perseguições que o Cristianismo já viu.
De acordo com o Ministério Portas Abertas, cada mês 322 cristãos são mortos por sua fé; 214 igrejas e propriedades cristãs são destruídas; e 772 formas de violência são cometidas contra os cristãos (como espancamentos, sequestros, estupros, prisões e casamentos forçados).
De acordo com o Pew Research Center, mais de 75% da população mundial vive em áreas com severas restrições religiosas (e muitas dessas pessoas são cristãs). Também, de acordo com o Departamento de Estado dos Estados Unidos, os cristãos em mais de 60 países enfrentam perseguição de seus governos ou vizinhos mais pertos simplesmente por causa de sua crença em Jesus Cristo.
A mensagem da ressurreição foi o ponto principal do extremo desconforto entre os líderes em Jerusalém. Isto é o que Lucas escreveu: Atos 4:2 doendo-se muito de que eles ensinassem o povo, e anunciassem em Jesus a ressurreição dentre os mortos,”A palavra “doendo”, no original significa ser agitado, ansioso, preocupado ou irritado. Eles simplesmente não conseguiam aceitar a ressurreição de Jesus.
Como todos sabemos, a perseguição vem de várias formas; às vezes é sutil como quando o apóstolo Paulo entregou a mensagem cristã aos filósofos no Areópago. Isto é como alguns deles reagiram: “Atos 17:32 Mas quando ouviram falar em ressurreição de mortos, uns escarneciam, e outros diziam: Acerca disso te ouviremos ainda outra vez.”A palavra “escarnecer” significa olhar de cima para baixo, zombar e ridicularizar. Provavelmente, todos nós já experimentamos algumas destas situações uma vez ou outra.
Para Paulo a fé e a pregação da ressurreição trouxeram mais problemas. Ele foi perseguido e preso. Aqui está parte da sua defesa: “Atos 23:6 Sabendo Paulo que uma parte era de saduceus e outra de fariseus, clamou no sinédrio: Varões irmãos, eu sou fariseu, filho de fariseus; é por causa da esperança da ressurreição dos mortos que estou sendo julgado.”Em outra ocasião, ele declarou: “Atos 24:21 a não ser acerca desta única palavra que, estando no meio deles, bradei: Por causa da ressurreição dos mortos é que hoje estou sendo julgado por vós.”
Sim, a fé na ressurreição de Jesus pode trazer provações, tribulações e perseguições. Sua ressurreição ratifica suas afirmações de ser o Filho de Deus, o Messias, o Salvador e o Senhor. Não apenas um deles, mas o único. O mundo não consegue reconhecer isso. Eles não vão aceitar essa reivindicação, e se você acredita e compartilha esta mensagem com outros você terá problemas.
Alguém estabelecido no mundo da sociologia e teoria política observou as culturas e criou cinco fases de perseguição religiosa. Aqui está a lista:
Fase 1. Estereotipar o grupo-alvo
Fase 2. Vilipendiar o grupo-alvo por crimes alegados ou má conduta
Fase 3. Marginalizar o papel do grupo-alvo na sociedade
Fase 4. Criminalizar o grupo-alvo ou suas obras
Fase 5. Perseguir o grupo-alvo completamente
Se você acredita na ressurreição de Jesus e se atreve a declará-la, você vai experimentar esses estágios. A pergunta é: vale a pena? Espero e oro para que sua resposta seja um sonoro e retumbante sim!
Tenha uma semana abençoada,
Pastor Lucas