quinta-feira, 24 de maio de 2018

A vida depois da Páscoa – fé

“Você acredita?” “Você realmente acredita que Jesus ressuscitou dentre os mortos?” Essa é uma pergunta crucial.Desde o início, o cristianismo tem lutado com este aspecto importante da nossa fé.
A ressurreição de Cristo tem estado sob ataque por um longo tempo, mas parece-me que em nossos dias, estamos vendo este ataque aumentar em proporções nunca vistas antes.Se você der uma olhada na crença dos membros e clero das denominações tradicionais, você vai se decepcionar com o número de pessoas que não acreditam na ressurreição corporal de Cristo.
Há um grupo controverso chamado O Seminário de Jesus (The Jesus Seminar).Este grupo de mais de 100 acadêmicos reúne-se duas vezes por ano por muitos anos para examinar a evidência histórica do Novo Testamento.Há alguns anos, eles anunciaram que não tinham encontrado nenhuma evidência para apoiar o nascimento virginal ou a ressurreição de Jesus.Claro, nem todos os estudiosos cristãos apoiam suas conclusões, no entanto, eles representam as crenças de um segmento crescente entrecristãos.
Todos nós nos lembramos das palavras de Jesus para Tomé,“João 20:27Depois disse a Tomé: Chega aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; chega a tua mão, e mete-a no meu lado; e não mais sejas incrédulo, mas crente.”Nossa fé em Jesus não é apenas em um bom homem que viveu há muito tempo, ensinou belas lições e ajudou muitas pessoas.A ressurreição de Cristo é um dos mais importantes pilares da fé cristã.
A ressurreição estava presente em todos os primeiros sermões que foram pregados no início do cristianismo.Se você ler o livro de Atos, você encontrará o tema da ressurreição em todo lugar.Pedro em seu primeiro sermão no dia de Pentecostes, deixa claro:“Atos 2:32 Ora, a este Jesus, Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas.”Algum tempo depois, após Pedro e João curarem um homem aleijado, eles enfatizaram que Cristo, que estava vivo, tinha operado o milagre.Quando confrontados com os líderes religiosos disseram isso:“Atos 3:15e matastes o Autor da vida, a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, do que nós somos testemunhas.”
O apóstolo Paulo não só teve uma experiência tremenda com o Cristo ressuscitado, ele também deixou bem claro ao longo de seu ministério que a ressurreição de Cristo era uma condição sine qua nonpara a fé cristã.Em sua carta aos Coríntios, ele escreveu isto:“1Coríntios 15:14 E, se Cristo não foi ressuscitado, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé.”Ele também acentuou que a fé na ressurreição de Cristo era imperativo para nossa salvação,“Romanos 10:9Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo;”
Infelizmente estamos longe da fé dos nossos pais.No Credo Niceno-Constantinopolitano, em uma das primeiras linhas temos esta declaração:“por nossa causa ele foi crucificado sob Pôncio Pilatos;Ele sofreu a morte e foi sepultado.Ele ressuscitou no terceiro dia,”, e no Credo Apostólico temos isto:“foi crucificado, morto e sepultado;Ele desceu ao inferno; ao terceiro dia ressuscitou dentre os mortos.”
Então, meu amigo, a pergunta permanece: você acredita?Você realmente acredita que Jesus ressuscitou dentre os mortos?
Tenha uma semana abençoada,
Pastor Lucas

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Níveis de emoção do imigrante - 4

Olá amigos, este é mais um Pingo de Prosa com o pastor Lucas Pina.
Hoje nós vamos continuar a nossa prosa sobre imigrantes e imigração
Os Estágios de Mudança – Parte 3
Neste pingo de prosa nós vamos ver os estágios que todos nós, que um dia mudamos, temos que passar.
Mudar para um outro país vai produzir emoções, e muitas vezes não estamos preparados para elas.
Este sentimento de deslocamento, esta mudança radical, tem o poder de mexer, não somente com nossas emoções, mas também com toda a nossa vida.
Existem muitos níveis de emoção que as pessoas que mudam de um país para outro vão experimentar.
O quarto nível de emoção é quando sentimos que temos de tomar uma “Decisão”.
E este sentimento vem concluir este processo todo. Você sente saudade, aí você tem o sentimento de “nós-contra-eles”, e depois se sente desanimado e desencorajado. A partir deste ponto você começa a questionar a sua decisão de ter saído do país, de ter deixado a sua família para trás, o teu emprego, os teus amigos, a tua vida.
É neste momento que muitos imigrantes arrumam as malas e voltam para o seu país.
Você já passou por este momento de decisão? Talvez você esteja passando neste exato momento. As coisas estão apertando para os imigrantes, e é normal começarmos a pensar no plano B.
No próximo vídeo continuaremos a falar destas mudanças e como nós reagimos.
Não esqueça de compartilhar este vídeo com os seus amigos e na sua rede social, e também de subscrever no meu canal: UM PINGO DE PROSA.
Um abraço.
Pastor Lucas

quinta-feira, 17 de maio de 2018

A vida depois da Páscoa – Fake News (Notícia Falsa)

“NOTÍCIA FALSA! (Fake News)” Este é o termo que a maioria de nós tem ouvido recentemente. Algumas pessoas acreditam que a Notícia Falsa é um termo novo, ou neologismo, usado para se referir a fabricação de notícias, mas não é. Notícia Falsa parece que começou a ter um uso generalizado no final do século XIX.
Uma das definições para “Fake News” é: “notícia falsa é um relatório impreciso, por vezes sensacionalista, que é criado para ganhar atenção, induzir ao erro, enganar ou prejudicar a reputação”. Denzel Washington falando sobre a mídia disse algo muito interessante que define quase tudo: “se você não lê o jornal, você é desinformado. Se você ler, você é mal informado.”.
Não sabemos mais o que é verdade e o que não é. Depois de ler um jornal, assistir ao noticiário na TV ou pesquisar na internet, chegamos à conclusão de que cabe a nós fazer o trabalho duro para garantir que as informações são boas.
Pensamos que isto é novo, mas não é. A ressurreição teve sua própria notícia falsa (Fake News). Encontramos a estória no evangelho de Mateus. Aqui está o texto: Mateus 28: 11-15, Ora, enquanto elas iam, eis que alguns da guarda foram à cidade, e contaram aos principais sacerdotes tudo quanto havia acontecido. E congregados eles com os anciãos e tendo consultado entre si, deram muito dinheiro aos soldados, e ordenaram-lhes que dissessem: Vieram de noite os seus discípulos e, estando nós dormindo, furtaram-no. E, se isto chegar aos ouvidos do governador, nós o persuadiremos, e vos livraremos de cuidado. Então eles, tendo recebido o dinheiro, fizeram como foram instruídos. E essa história tem-se divulgado entre os judeus até o dia de hoje."
Como você pode ver os de fora perpetraram a notícia falsa, neste caso os soldados e os sacerdotes. A ideia por trás disso era esconder a verdade de que Jesus ressuscitou dentre os mortos. Como a maioria das pessoas que recorrem ao uso de falsas notícias, os guardas e os sacerdotes sabiam o que aconteceu, mas esta verdade traria tantas mudanças em suas vidas e nas vidas das pessoas, que decidiram propagar a falsa notícia. 
Pessoas de fora da Igreja preferem acreditar na notícia falsa que Jesus não ressuscitou dos mortos, porque se eles realmente acreditarem na ressurreição eles precisarão curvar-se e aceitar Jesus como seu Senhor e Salvador.
O problema com a notícia falsa não é apenas com os de fora. É também com os de dentro. Paulo teve um problema com as pessoas em uma das suas igrejas que estavam dizendo que Jesus não ressuscitou dos mortos. Aqui está o texto: “1Corintios 15:11-12 Então, ou seja eu ou sejam eles, assim pregamos e assim crestes. Ora, se se prega que Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, como dizem alguns entre vós que não há ressurreição de mortos?”A parte que eu gostaria de enfatizar é como dizem alguns entre vós que não há ressurreição de mortos?” Havia pessoas durante aquele tempo, dentro da igreja que estavam dizendo que não havia ressurreição dentre os mortos, e assim sendo, Jesus não tinha ressuscitado.
É triste saber que existem muitas pessoas dentro de nossas igrejas que não acreditam na ressurreição de Jesus. Isso muda tudo, porque o apóstolo Paulo é claro quando diz que se Jesus não ressuscitou, não há fé, esperança, salvação, perdão dos pecados e a nossa pregação é inútil.
Meu amigo, Jesus realmente ressuscitou dos mortos. Não acredite na notícia falsa que diz o contrário, mesmo que se trate de uma “boa fonte”. A ressurreição é essencial para nossa vida eterna.
Tenha uma semana abençoada,
Pastor Lucas

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Níveis de emoção do imigrante - 3

Olá amigos, este é mais um Pingo de Prosa com o pastor Lucas Pina.
Hoje nós vamos continuar a nossa prosa sobre imigrantes e imigração
Os Estágios de Mudança – Parte 3
Neste pingo de prosa nós vamos ver os estágios que todos nós, que um dia mudamos, temos que passar.
Mudar para um outro país vai produzir emoções, que muitas vezes não estamos preparados para elas.
Este sentimento de deslocamento, esta mudança radical, tem o poder mexer, não somente com nossas emoções, mas também com toda a nossa vida.
Existem muitos níveis de emoção que as pessoas que mudam de um país para outro vai experimentar.
O terceiro é o sentimento de “Desencorajamento”.
Este sentimento é muito comum em qualquer lugar do mundo que tem imigrantes. Os imigrantes, sem exceção, passam por este período de desânimo. Eles pensavam que as coisas seriam melhor, mais fácil, etc. E acabam chegando à triste conclusão de que não é tão fácil assim. A cultura não ajuda, a língua não ajuda, os amigos tem suas vidas e coisas para fazer. Nós nos sentimos sozinhos e desemparados. É neste momento que começamos a desanimar.
Você já passou por este desânimo? Talvez você está passando neste exato momento. As coisas estão apertando para os imigrantes, e é normal ficarmos desanimados.
No próximo vídeo continuaremos a falar destas mudanças e como nós reagimos.
Não esqueça de compartilhar este vídeo com os seus amigos e na sua rede social, e também de subscrever no meu canal: UM PINGO DE PROSA.
Um abraço.
Pastor Lucas

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Níveis de emoção do imigrante - 2

Olá amigos, este é mais um Pingo de Prosa com o pastor Lucas Pina.
Hoje nós vamos continuar a nossa prosa sobre imigrantes e imigração.
Os Estágios de Mudança – Parte 3
Neste pingo de prosa nós vamos ver os estágios que todos nós, que um dia mudamos, temos que passar.
Mudar para um outro país vai produzir emoções, que muitas vezes não estamos preparados para elas.
Este sentimento de deslocamento, esta mudança radical, tem o poder mexer, não somente com nossas emoções, mas também com toda a nossa vida.
Existem muitos níveis de emoção que as pessoas que mudam de um país para outro vão experimentar.
A segunda é o sentimento de “Nós-contra-eles”.
Este sentimento é muito comum em qualquer lugar do mundo que tem imigrantes. Os imigrantes são diferentes, e por isso, muitas vezes são vistos e tratados como inimigos ou indesejáveis. As pessoas que estão nos países a mais tempo olham para os novos imigrantes e vêm concorrentes, competidores. “Eles vão tomar o nosso lugar, o nosso trabalho.
Nós também, os imigrantes, temos a mesma atitude. Nós os vemos como inimigos. Eles estão contra a gente. Eles querem nos mandar embora. Eles não vão nos tratar bem, etc.
Você já passou por este tipo de situação quando mudou?
No próximo vídeo continuaremos a falar destas mudanças e como nós reagimos.
Não esqueça de compartilhar este vídeo com os seus amigos e na sua rede social, e também de subscrever no meu canal: UM PINGO DE PROSA.
Um abraço.
Pastor Lucas

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Níveis de Emoção do Imigrante - 1

Olá amigos, este é mais um Pingo de Prosa com o pastor Lucas Pina.
Hoje nós vamos continuar a nossa prosa sobre imigrantes e imigração
Os Estágios de Mudança – Parte 3
Neste pingo de prosa nós vamos ver os estágios que todos nós, que um dia mudamos, temos que passar.
Mudar para um outro país vai produzir emoções, que muitas vezes não estamos preparados para elas.
Este sentimento de deslocamento, esta mudança radical, tem o poder de mexer, não somente com nossas emoções, mas também com toda a nossa vida.
Existem muitos níveis de emoção que as pessoas que mudam de um país para outro vão experimentar.
A primeira emoção que conhecemos muito bem é a SAUDADE. Aquele sentimento de perda, de vazio, misturado com a lembranças das coisas boas que não temos mais.
Saudade é uma palavra única. Somente existe na língua Portuguesa.
A primeira emoção produzida pela mudança de um país para o outro é a saudade. Saudade de lugares, pessoas, tempos, atividades, que neste lugar novo não tem mais.
Qual é a maior saudade que você sentiu, quando mudou?
Qual foi a primeira saudade que você teve?
No próximo vídeo continuaremos a falar destas mudanças e como nós reagimos.
Não se esqueça de compartilhar este vídeo com os seus amigos e na sua rede social, e também de subscrever no meu canal: UM PINGO DE PROSA.
Um abraço.
Pastor Lucas

quarta-feira, 2 de maio de 2018

A vida depois da Páscoa – incredulidade

“Não seja um Tomé!”Isso é o que podemos dizer para as pessoas que têm dificuldade em acreditar em algo. Pobre Tomé, tornou-se um garoto-propaganda para a descrença. Toda vez que encontramos alguém que não acredita ou não quer acreditar nós conectamos ele ou ela com Tomé. A igreja até lhe deu um apelido: “O incrédulo Tomé”.
O que não levamos em consideração é que a sua dúvida era válida. Não me interpretem mal, Tomé viu Jesus fazendo coisas incríveis, Seus ensinamentos eram corretos, e Sua vida era perfeita. durante mais de três anos Tomé viu, ouviu, caminhou e experimentou o que Jesus foi capaz de fazer. Mas estamos falando sobre a volta dos mortos. A demonstração de poder foi extraordinária. Jesus não apenas se recuperou do sofrimento e da crucificação; Ele estava perfeito, com um corpo surpreendente, capaz de atravessar paredes e portas trancadas.
Tomé deixou claro para os outros discípulos que ele precisava de mais provas do que simplesmente os seus testemunhos. Isto é como João contou a história: “João 20:25 Disseram-lhe, então, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele respondeu: Se eu não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o dedo, e não puser a mão no seu lado, de modo algum acreditarei.”Ele simplesmente não conseguiam acreditar que Jesus estava vivo.
O problema é que ele não era o único. Todos os que ouviram a boa notícia, viram o túmulo vazio ou encontraram o Senhor ressuscitado, também tinham dúvidas. Era muita coisa para processar. Lucas deixou claro em seu Evangelho que os apóstolos, e ele os chamou de “onze”, não acreditaram no testemunho das mulheres sobre a ressurreição. Isto é o que ele escreveu: Lucas 24:9-11 E, voltando do túmulo, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os mais que com eles estavam. Eram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago; também as demais que estavam com elas confirmaram estas coisas aos apóstolos. Tais palavras lhes pareciam um como delírio, e não acreditaram nelas.”
É importante para nós entendermos que na cultura nos tempos dos apóstolos, as mulheres não tinham o mesmo status dos homens. Isso pesava contra elas. Também precisamos entender que elas eram muitas, então provavelmente elas estavam falando ao mesmo tempo e dando todos os detalhes sobre o que viram. Os apóstolos provavelmente ficaram sobrecarregados com a quantidade de informação. É por isso que Lucas tenta explicar “Tais palavras lhes pareciam um como delírio, e não acreditaram nelas.” Quando nos aproximamos da Ressurreição precisamos obter todas as informações que pudermos. Jesus deixou claro para os discípulos que ele estava vivo. Ele reforçou com as Escrituras, Ele os lembrou de Suas palavras, e Ele ficou com eles por um tempo, para que eles tivessem certeza de que Ele era real. Ele também prometeu o Seu Espírito Santo para ajudá-los a acreditar.
Como você pode ver, incredulidade e descrença não é algo estranho quando se trata da ressurreição de Jesus. É difícil acreditar em algo assim. Se os apóstolos tinham suas dificuldades, as pessoas hoje terão também. É por isso que temos as Escrituras, o testemunho das pessoas que o viram e o trabalho do Espírito para nos convencer de que Ele ressuscitou; de fato Ele ressuscitou!
Tenha uma semana abençoada,
Pastor Lucas