terça-feira, 20 de junho de 2017

Vamos lá Senhor, me dá um tempo! – Meu filho está contra mim!

Eu estava sentado na poltrona da frente, na primeira fila, muito perto do motorista e do cobrador, e ouvi uma conversa entre os dois. O jovem estava reclamando sobre o seu pai e o motorista estava tentando acalmá-lo. Durante a conversa eu ouvi o rapaz falar: “da próxima vez eu vou matá-lo!” Eu fiquei chocado, por causa da maneira como ele se expressou, ele realmente quis dizer isso. Tanto o motorista quanto eu realmente acreditamos que o jovem iria matar o seu pai, se ele tivesse uma chance. Isto nos mostra o que Jesus disse em um de seus sermões: “e assim os inimigos do homem serão os da sua própria casa.” Mateus 10:36.”
O rei Davi experimentou algo assim em sua própria vida. Seu filho Absalão assumiu o trono e tentou matar seu pai. Davi teve que fugir de Jerusalém para se salvar.
Foi nesta época que Davi compôs o Salmo 3. Este Salmo é para aqueles que enfrentam oposição em sua própria família, ou no seu círculo mais íntimo. Foi muito difícil para Davi acreditar que seu filho um dia iria persegui-lo e tentar matá-lo. Como Davi, nós sempre pensamos que a animosidade dentro da família nunca acontecerá. Infelizmente estamos errados. Isso acontece com mais frequência do que imaginamos.
Este Salmo é um grito de socorro para este tipo de situação. Davi não queria lutar contra seu próprio filho, então ele decidiu ir embora, mas ele sabia que essa decisão não ajudaria e que ele e seu exército eventualmente teriam que enfrentar Absalão e suas forças. É por isso que Davi clama ao Senhor. Ele clama por libertação e proteção, contra todas as probabilidades, e ele está confiante de que o Senhor vai ouvi-lo.
Uma das consequências mais comuns da luta na família é perder o sono. Quantos pais já ficaram acordados noite após noite por causa de seus filhos? No meio desse tipo de tumulto, Davi foi capaz de dizer isto: “Eu me deito e durmo; acordo, pois o Senhor me sustenta. Salmo 3:5.” é a confiança e a dependência no senhor que vai fazer você dormir durante aqueles tempos. Por causa de sua fé no Senhor, Davi não tinha medo, mesmo que ele estivesse em menor número.
Mais uma coisa que aprendemos com Davi neste tipo de situação é sua ousadia para pedir a Deus para agir em seu favor. Davi não queria fazer nada contra seu filho Absalão, mas ele pede a Deus para fazer. “Levanta-te, Senhor! salva-me, Deus meu! pois tu feres no queixo todos os meus inimigos; quebras os dentes aos ímpios. Salmo 3:7” Às vezes não temos coragem, força ou vontade para disciplinar os nossos filhos. Como Davi, precisamos pedir a Deus que faça isso por nós. Sabemos que o Senhor é justo e reto, e Ele fará o que é certo.
Então, se você estiver enfrentando problemas com seus filhos, faça como fez Davi. Clame ao Senhor, confia nEle e peça para Ele intervir por você.
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas

terça-feira, 13 de junho de 2017

Vamos lá Senhor, me dá um tempo!

Ler os Salmos é uma coisa, mas orar os Salmos é algo totalmente diferente. Os salmistas são ousados e corajosos. Eles têm uma maneira de chegar diante do Senhor com expressões que talvez nós não nos sentiríamos confortáveis usando.
Você seria corajoso o suficiente para dizer isso a Deus?
“Levanta-te, Senhor! salva-me, Deus meu! pois tu feres no queixo todos os meus inimigos; quebras os dentes aos ímpios.”
“Ergue-te, Senhor, na tua ira; levanta-te contra o furor dos meus inimigos; desperta-te, meu Deus, pois tens ordenado o juízo.”
“Até quando, ó Senhor, te esquecerás de mim? para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto?”
“Levanta-te, Senhor,”
“Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? por que estás afastado de me auxiliar, e das palavras do meu bramido?”
“Tu, Senhor, o viste, não te cales; Senhor, não te alongues de mim.”
Os Salmos de Lamento são um grupo de Salmos que expressam este sentimento. Os salmistas estão em agonia por alguma circunstância em suas vidas pessoais ou na vida da nação. Por causa disso, eles vêm diante do Senhor e colocam tudo em seus pés. Eles não evitam palavras ou expressões; Só dizem o que está em seus corações. É como se dissessem: Vamos lá Senhor, me dá um tempo!
Alguns estudiosos acreditam que 57 dos Salmos possam estar nessa categoria. Isto é 38% dos Salmos. Se acreditamos que Deus inspirou os salmistas, e se acreditamos que Deus permitiu que esses Salmos estivessem na Bíblia é porque Ele quer que nos aprendamos a orar e a expor os nossos sentimentos a Ele.
Os Salmos de lamento são um pedido de socorro. É como uma chamada ao 911, aqui nos EUA, no Brasil seria 190 ou 193. Nós nos encontramos em uma situação ruim e precisamos de uma intervenção divina imediatamente. Não temos qualquer outro recurso e clamamos. Talvez não tenhamos as palavras certas e as nossas atitudes não são as melhores, mas nossos corações estão abertos para Deus.
A intenção dos salmistas é não se afastar de Deus, mas mover Deus para mais perto deles. Como alguém disse: “eles procuram despertar Deus para as suas necessidades, para acelerar a sua intervenção e assegurar a sua ação em favor deles.” Todos esses Salmos têm um padrão: 1. Eles se dirigem a Deus em uma invocação, 2. Eles compartilham o problema e seu pedido inicial de ajuda, 3. Eles confessam sua confiança de que Deus é capaz de fazer algo, 4. Eles terminam com certeza, louvor e confiança no amor e misericórdia de Deus.
À medida que nós andamos através destes Salmos, eu gostaria de desafiá-lo a usá-los na sua oração pessoal. Às vezes nós não sentimos confortáveis ou confiantes o suficiente para dizer estas palavras. Os salmistas podem nos ajudar a expressar nossa angústia, dor, frustração e necessidades diante do Senhor. Eles também podem nos ajudar a ser confiantes de que não importa o que esteja acontecendo em nossas vidas; Deus é um Deus amoroso, poderoso e presente.
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas

terça-feira, 6 de junho de 2017

Um ao outro – vivendo em comunidade – o que NÃO devemos fazer um ao outro

Durante esta série, aprendemos o que devemos fazer, mas neste último artigo da série, eu gostaria de compartilhar com vocês algumas coisas que não devemos fazer uns aos outros como irmãos e irmãs. Aqui estão algumas delas:
Resmungar – Algumas pessoas têm a capacidade de encontrar defeitos e erros em tudo e em todos. Para elas nada é perfeito ou, pelo menos do seu ponto de vista. Quando elas veem algo que alguém está fazendo de forma diferente, elas começam murmurar e reclamar. Jesus e Tiago pediram aos discípulos para parar de fazer isso, “Respondeu-lhes Jesus: Não murmureis entre vós. João 06:43.” “Não vos queixeis, irmãos, uns dos outros, para que não sejais julgados. Eis que o juiz está à porta. Tiago 5:9.”
Mentir – A próxima coisa que não deve ser encontrada entre nós é desonestidade. Devemos sempre dizer a verdade e ser verdadeiro. Se você não pode dizer a verdade, não diga nada, mas não minta. O apóstolo Paulo nos diz que mentir é parte da nossa velha vida, a vida antes de Cristo, e por isso não deve estar em nossos lábios. “não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do homem velho com os seus feitos, Colossenses 3:9.”
Competir – A terceira coisa que irá danificar a nossa vida em comunidade é a concorrência. Nós comparamos nossa vida, família, Igreja e outras coisas e pessoas com os outros e queremos sempre ter melhor, maior, mais bonito, etc. Infelizmente este é um verdadeiro problema para os cristãos de hoje. Paulo escreveu aos Gálatas e teve isto para dizer a eles: “Não nos tornemos vangloriosos, provocando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros. Gálatas 5:26.”
Julgar – A outra atitude que impede o nosso crescimento espiritual na Comunidade é o julgamento. Acreditamos que estamos certos e nosso irmão e irmã está errada, ou que não são nem nosso irmão e irmã. Esta atitude nos bloqueia de ter comunhão com outros que não estão na mesma fase da jornada cristã que pensamos que estamos. “Portanto não nos julguemos mais uns aos outros; antes o seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao vosso irmão. Romanos 14:13.”
Disputar – Quantas igrejas você conhece que começou por causa de algum tipo de disputa? Quantos irmãos e irmãs deixaram uma congregação por causa de disputas e altercações temperamentais sem amor? Quantas pessoas deixaram a fé porque a forma como foram tratadas foi totalmente errada. Isto não é algo novo. Olha o que Paulo escreveu aos Gálatas: “Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais uns aos outros. Gálatas 5:15.”
Caluniar – Se devemos viver em comunidade nós devemos guardar a nossa língua. Devemos cuidar com o que dizemos e como dizemos. Não precisamos concordar com tudo o que nossos irmãos e irmãs dizem ou fazem, mas devemos ser extremamente cuidadosos, como podemos reagir e expressamos nossas opiniões. Falar mal, difamar e caluniar não devem ser parte do nosso comportamento, desde que nós somos discípulos de Cristo. Isto é o que Tiago escreveu: “Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz. James 4:11.”
Assim sendo, irmãos e irmãs, vamos viver em comunidade e fazer uns aos outros o que Jesus e seus Apóstolos nos pediram para fazer.
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas

terça-feira, 30 de maio de 2017

Um ao outro – vivendo em comunidade – orar uns pelos outros

Uma das coisas que aprendi em meu ministério é que as pessoas têm dificuldades, não só de falar em público, mas também de orar em público. Eu não sou diferente deles; pelo menos eu não era. Eu me lembro da minha primeira experiência de orar em público; foi assustador. Eu era um discípulo novo de Cristo e a mocidade da nossa igreja me convidou para uma conferência de jovens do Sínodo na capital do nosso estado. Tudo foi emocionante para mim. Eu não sabia que havia tantos jovens da minha idade, seguindo a Cristo e indo à igreja.
Então, decidi ir ao evento. Tivemos muitas reuniões, música, palestras, etc. Mas um dia eles organizaram um grupo grande em uma sala. Nós estávamos sentados em cadeiras em um grande círculo. De repente, o líder anunciou que eles teriam uma reunião de oração e todos teriam a oportunidade de orar, começando com a pessoa do lado dele e indo ao redor do círculo inteiro, e ele fecharia a reunião com a sua oração.
Fiquei petrificado e feliz ao mesmo tempo. Petrificado, porque eu nunca tinha orado em público e na frente de tanta gente; feliz porque eu estava perto dele, do lado oposto. Confesso que durante a reunião toda de oração eu não fui capaz de prestar atenção nas orações, eu tive um curso intensivo sobre a oração. Aprendi como as pessoas começavam a suas orações, quais eram as principais solicitações, ou expressões de louvor e gratidão, como eles usavam sua entonação e, o mais importante para mim naquele momento, como eles terminavam. Eu não preciso te dizer que quando chegou minha vez eu tinha uma boa oração para oferecer.
A Bíblia nos exorta a orar uns pelos outros: Confessai, portanto, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados. A súplica de um justo pode muito na sua atuação. Tiago 5:16.” Isto deve ser uma experiência muito importante e comum na vida da igreja.
Quando foi a última vez que alguém orou por você? Não estou falando de pessoas que oram por você dentro de seus quartos de oração, ou silenciosamente. Eu estou perguntando quando foi a última vez que alguém veio para você segurou as mãos ou colocou as suas mãos no seu ombro e fez uma oração em voz alta para você? E quanto a você? Você já fez algo assim para alguém?
A Bíblia nos encoraja a orar um pelo outro. Devemos desenvolver uma disciplina pessoal para orar por nossos irmãos e irmãs. Mas a Bíblia também nos encoraja a orar com o outro. Quando foi a última vez que você participou de uma reunião de oração? “Reunião de oração?” Sim, uma reunião onde as pessoas se reúnem SÓ PARA ORAR. Talvez para você isso pareça estranho. Sim, mas foi uma reunião comum na vida da igreja ao longo da história e ainda é em muitas partes do mundo hoje. As pessoas se reúnem em casas, igrejas, escritórios, até mesmo em público, como cafeterias e lanchonetes, para orar com e para o outro.
Eu aprendi logo no começo da minha jornada com Cristo a orar com outras pessoas e por elas. Eu também aprendi que a Bíblia é a melhor maneira de aprender a orar. Mas de uma maneira prática você vai aprender mesmo é com outras pessoas, até que você seja capaz de usar suas próprias palavras. Você não precisa ser um salmista para orar. Você só precisa amar o Senhor e amar seus irmãos e irmãs. Reunião de oração é como uma reunião de família, irmãos e irmãs falando com o Pai, pedindo as coisas para eles e para seus irmãos.
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas