terça-feira, 25 de abril de 2017

Um ao Outro – Vivendo em Comunidade – Sirva um ao outro

Estamos vivendo numa época em que as pessoas esperam ser servidas. Como eu disse antes, nossos filhos acreditam que o mundo gira em torno deles. Eles esperam ser servidos em todas as áreas de suas vidas. Eles esperam que seus pais os sirvam, seus professores os sirvam, suas igrejas e pastores os sirvam, e muitos deles esperam que seus patrões os sirvam. E se eles não são servidos ou servidos de uma forma que eles querem, eles reclamam, eles têm um ataque de nervos, e em alguns casos, eles vão embora.
O cristianismo é o oposto disso. Somos chamados a servir uns aos outros. Aqui estão algumas lições que nos ajudarão a servir nossos irmãos e irmãs.
1. Servir com uma atitude humilde
No evangelho de João encontramos esta bela história quando Jesus lavou os pés dos apóstolos. “levantou-se da ceia, tirou o manto e, tomando uma toalha, cingiu-se. Depois deitou água na bacia e começou a lavar os pés aos discípulos, e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido. João 13: 4-5.” As estradas antigas estavam empoeiradas e lavar o pé era uma cortesia comum. Normalmente, essa tarefa era realizada por um servo. Não tenho dúvida de que os discípulos estariam dispostos a lavar os pés de Jesus, mas lavar os pés dos outros discípulos seria uma admissão de inferioridade. Jesus simplesmente se humilhou e fez isso.
2. Servir sabendo quem você é
Às vezes não queremos servir porque pensamos que a atitude nos diminuirá. Nós nos sentiremos inferiores aos outros. Para Jesus era o oposto. Ele não teve problema em servir Seus discípulos porque Ele sabia muito bem quem Ele era. Este é o texto logo antes da lavagem dos pés dos apóstolos: “Jesus, sabendo que o Pai lhe entregara tudo nas mãos, e que viera de Deus e para Deus voltava,  João 13: 3.” Servir nosso irmão e irmã não deveria ser problema para nós se soubéssemos quem realmente somos.
3. Servir até aqueles que nos trairão
Devemos servir não só as pessoas de quem gostamos e das que gostam de nós, devemos servir a todos. Não se esqueça que Judas estava presente quando Jesus fez isso, e ele teve os pés lavados pelo Senhor. “Pois ele sabia quem o estava traindo; por isso disse: Nem todos estais limpos. Ora, depois de lhes ter lavado os pés, tomou o manto, tornou a reclinar-se à mesa e perguntou-lhes: Entendeis o que vos tenho feito? João 13: 11-12.”
4. Servir com amor
O apóstolo Paulo escreveu aos Gálatas: “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Mas não useis da liberdade para dar ocasião à carne, antes pelo amor servi-vos uns aos outros. Gal. 5:13.” Ele está dizendo que a liberdade que temos é a de não fazer o que queremos, mas devemos usar nossa liberdade para servir uns aos outros em amor. Não se esqueça que a palavra servir aqui é a palavra escravo, e a palavra amor é a usada para identificar o amor sacrificial demonstrado por Jesus para conosco.
5. Servir tendo Jesus como nosso exemplo final
Como você pode ver, Jesus é o melhor exemplo de serviço. No evangelho de Marcos, lemos isto: “Pois também o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos. Marcos 10:45.” E no livro de Filipenses Paulo escreveu um belo hino sobre a encarnação de nosso Senhor, e isto é o que ele tem a dizer sobre servir: “Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; Filipenses 2: 5-7.”
Uma vez que Jesus, que é Deus, serviu Seus discípulos e até mesmo aquele que o trairia, devemos seguir Seus passos e servir uns aos outros.
Tenha uma semana abençoada,
Pastor Lucas

terça-feira, 18 de abril de 2017

Um ao outro – vivendo em comunidade – Perdoar um ao outro

“Eu perdoo, mas não esqueço”. Nós ouvimos isso muito. As pessoas estão dispostas a perdoar mas não estão dispostas a esquecer. Algumas pessoas vão carregar rancor por muito tempo, e alguns fazem isso ao longo de suas vidas. Isto é tão sério que as pessoas podem realmente adoecer por falta de perdão. Doenças físicas e disfunção emocional são relacionadas à falta de perdão, mas o mais importante são as consequências espirituais. Falta de perdão prejudica nosso relacionamento com Deus, quando temos uma atitude ruim para com nossos irmãos e irmãs que nos ofendem.
O desafio com este aspecto de nossa vida cristã é que todos nós sabemos o que temos que fazer. Todo cristão sabe que ele ou ela deve perdoar uns aos outros. Infelizmente, alguns de nós não podem perdoar e outros não querem perdoar. É isso aí. Alguns de nós não têm a força em nós mesmos para perdoar alguém que nos prejudicou. A dor é muito grande ou as feridas ainda estão abertas. Eles simplesmente não podem fazê-lo. Por outro lado, alguns de nós não estão dispostos a fazê-lo. Tomamos a decisão de manter essa ofensa viva, e queremos ver a pessoa sofrer pelo que ele ou ela fez.
Paulo escreveu à igreja de Colossos sobre isso. Aqui está o que ele disse: “suportando-vos e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como o Senhor vos perdoou, assim fazei vós também. Colossenses 3:13.” Paulo está dizendo aos irmãos e irmãs de Colossos que devem se livrar de suas roupas velhas e colocar uma nova vestimenta, e o perdão é parte desta vestimenta nova que temos em Cristo. Isto nos ajuda a compreender que essas virtudes estão em nós em uma forma de semente. Precisamos de agua-las e nutri-las para que possam crescer. Não seremos capazes de perdoar a todos que nos prejudicaram e ofenderam desde o início. Isso é impossível. Precisamos entender que este é um processo de crescimento e vai levar tempo.
Em outra carta, Paulo adiciona outra coisa: “Assim, pois, sigamos as coisas que servem para a paz e as que contribuem para a edificação mútua. Romanos 14:19.” Há algumas lições neste texto que nos ajuda a perdoar. A primeira é sobre nós. Paulo diz “sigamos as coisas que servem.” Esta palavra significa “fazer todo o esforço possível”. Paz não virá fácil, e restauração de relacionamentos não vai acontecer do nada. Exige trabalho, dedicação e sacrifício. Isto é o que Paulo está dizendo aos romanos e a nós. Perdão exige esforço, o máximo possível. O outro aspecto é a “edificação mútua.” As pessoas fazem coisas com a gente e nos machucam, porque elas não tinham ou não tem maturidade suficiente para compreender e reconhecer que o que eles fizeram é errado. Nós que somos maduros devemos perdoá-las e ajudá-las a crescer. Um dia elas irão descobrir, mas por agora, nossa atitude deve ser a de perdoar.
Jesus disse: “Bom é o sal; mas, se o sal se tornar insípido, com que o haveis de temperar? Tende sal em vós mesmos, e guardai a paz uns com os outros. Marcos 9:50.” a palavra de nosso Senhor é “guardai paz uns com os outros.” Se você e eu não podemos ser reconciliados, não será por minha causa. Deveríamos ser aqueles que vão parar a guerra e a animosidade. Não estou dizendo que não será difícil, mas temos de dar os primeiros passos. Jesus está dizendo que se nós queremos fazer diferença, deveríamos começar com estar em paz uns com os outros.
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas

terça-feira, 11 de abril de 2017

Um ao outro - vivendo em comunidade - Submeter-se um ao outro

Todos os dias na TV vemos pessoas demonstrando nas ruas exigindo seus direitos e querendo que todos, incluindo os policiais, que se submetam às suas demandas. Nossos filhos estão crescendo com uma mentalidade de rei e rainha. Eles querem estar no controle, e, infelizmente, não só os pais, mas toda a sociedade está alimentando essa atitude. Eles acreditam que eles têm direito a ter tudo e que todos devem fazer o que eles querem.
Isto deve ser suficiente para nos mostrar como estranho este mandamento parece para a nossa geração: Efésios 5:21 sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.” A palavra significa exatamente isso: “Submeter: colocar em sujeição, sujeito, subordinado; ser sujeito a.” É o oposto do que estamos aprendendo e somos encorajados a fazer. Mas não é só isso. A razão para fazer isso soa pior: “no temor de Cristo.” Esta tradução acoberta uma definição mais profunda e mais politicamente incorreta. A palavra reverência significa: “(ser amedrontado); alarmado ou assombro:— ter medo, + excessivamente, medo, terror.” A palavra em grego é “fobos”, da qual recebemos a palavra fobia.
O desafio para nós é que, se queremos viver em comunidade, como verdadeiros cristãos, temos de nos submeter uns aos outros. Para fazer isso em primeiro lugar nós devemos entender que nós não somos melhores que ninguém. Isto é o que Paulo escreveu aos romanos: Rom. 12:16 sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altivas mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios aos vossos olhos;” Na mesma carta Paulo nos lembra que somos parte do corpo de Cristo e pertencemos uns aos outros. Rom. 12:5 assim nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e individualmente uns dos outros.”
A outra atitude que deve estar presente em nossas vidas é a humildade. Isto é o que Paulo escreveu aos Filipenses: Fil. 2:3 nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo;” Paulo está dizendo à igreja e a nós que deveríamos considerar os outros melhores ou superiores a nós mesmos. Nós cristãos devemos desenvolver a atitude de pôr as pessoas para cima e não coloca-las para baixo. Para os romanos, Paulo escreveu: Rom. 12:10 Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros;” A palavra preferindo é a chave neste texto, significa colocando na frente ou acima. Pedro vai na mesma direção, quando ele escreve isto: 1Ped. 5:5 Semelhantemente vós, os mais moços, sede sujeitos aos mais velhos. E cingi-vos todos de humildade uns para com os outros, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” Humildade nos fará mover para o final da fila e nos obrigará a colocar nossos irmãos e irmãs à frente de nós.
A grande questão é: como? Como podemos superar nossos egos, travar o nosso egoísmo e parar nossa sede de poder? A resposta está na frase: “no temor de Cristo.” Quando olhamos para Cristo e percebermos quem Ele é, seremos capazes de submeter não só a Ele, mas aos nossos irmãos e irmãs. Jesus não é nosso amigo. Ele não é nosso empregado. Ele não é o nosso mordomo celestial. Ele é o Senhor, o Mestre, e Ele é DEUS, com toda a autoridade no céu e na terra. Cada vez que os apóstolos O viram, eles se ajoelharam. Mesmo depois de andar com Ele por três anos e meio. Mesmo depois que Jesus os chamou de seus amigos. Quando vemos Jesus como Ele é, seremos capazes de ver nossos irmãos e irmãs de uma maneira diferente.
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas

terça-feira, 4 de abril de 2017

Um ao outro – vivendo em comunidade – Oferecer hospitalidade uns aos outros

Em nossa civilização ocidental, saudações amistosas entre pessoas estão diminuindo extremamente. Hoje as pessoas cumprimentam uns aos outros com um simples “Oi”, e às vezes eles apenas acenam com a cabeça e movem os olhos. Muitas vezes as palavras não são sequer pronunciadas corretamente. Em algumas partes do país podemos ouvir as pessoas dizendo: “Wassap?!?”, “Hei!”, “Oi”, “tudo bem?”, “E aí?”.
Em outras culturas, saudações são mais intensas e complexas. Há palavras para boas vindas e partidas, um abraço, e algumas vezes um beijo e um abraço. No caso dos israelitas, por exemplo, na reunião e, em despedida, geralmente é usada a fórmula “Shalom Alechem”. Na verdade uma viagem poderia ser retardada por frequentes saudações.
Paulo e Pedro em suas cartas pediram os irmãos e irmãs para cumprimentarem uns aos outros com um beijo: Rom. 16:16 Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo. Todas as igrejas de Cristo vos saúdam.” “1Cor. 16:20 Todos os irmãos vos saúdam. Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo.” “2Cor. 13:12 Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo.” “1Ped. 5:14 Saudai-vos uns aos outros com ósculo de amor. Paz seja com todos vós que estais em Cristo.” Em alguns dos textos, Paulo adiciona o adjetivo “Santo” para o beijo, e Pedro menciona o beijo do amor. Isso significa que os beijos eram supostamente sagrados, sem malícia, com respeito e como uma demonstração de amor pelo irmão e irmã.
O beijo foi destinado a mostrar hospitalidade. Isto é como nossos irmãos e irmãs daquela época e naquela parte do mundo saudavam os discípulos. Hospitalidade é algo que está faltando em nossa geração. Há muitas coisas que nos impedem de dar boas-vindas a alguém em nossas vidas, casas, bairros e igrejas. Isso pode fazer com que as pessoas se sintam deixada de lado e indesejáveis. Fazemos isso com palavras e atitudes ou com a falta delas. O Apóstolo Pedro escreveu: 1Ped. 4:9 sendo hospitaleiros uns para com os outros, sem murmuração;” Devemos oferecer hospitalidade sem reclamar. Eu entendo muito bem que diferentes culturas têm diferentes formas de saudação de uns para com os outros, e em algumas culturas o contato físico significa algo totalmente diferente. Mas ainda devemos tentar encontrar maneiras em cada cultura para deixar as pessoas saberem que elas são bem-vindas.
Nosso maior desafio com a hospitalidade é fazer julgamentos. Na maioria das vezes, olhamos para a pessoa e a julgamos antes mesmo de saudá-las. Talvez seja a roupa, a cor, o sotaque, etc. Às vezes, encontramos uma maneira de definir as pessoas antes mesmo delas abrirem a boca. Paulo, escrevendo aos romanos, tentou evitar isto quando ele disse: Rom. 14:13 Portanto não nos julguemos mais uns aos outros; antes o seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao vosso irmão.” A palavra “julgamento” quer dizer entre outras coisas: “decidir, considerar, como preferir uma coisa sobre a outra ou determinar a exatidão de uma matéria, condenar num sentido jurídico.” Antes de chegar perto das pessoas ou falar com elas, nós já decidimos se elas são boas, dignas e direitas, e já decidimos na nossa mente sobre seu caráter.
Um pouco mais adiante em sua carta, Paulo vai escrever que o nosso maior exemplo de hospitalidade é o nosso Senhor Jesus Cristo. Isto é o que ele escreveu: Rom. 15:7 Portanto recebei-vos uns aos outros, como também Cristo nos recebeu, para glória de Deus.” Devemos aceitar as pessoas e recebê-las sem julgamento.
O Reino de Deus está aberto a todos os que creem em Jesus. Se o próprio Deus está disposto a aceitar uma pessoa, devemos fazer o mesmo. Nós aceitamos porque Ele nos aceitou primeiro.
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas

quarta-feira, 29 de março de 2017

Um ao outro – vivendo em comunidade – Ser bondoso e compassivo um com o outro

Se você acha que todos os cristãos são agradáveis, você está no planeta errado. Os cristãos são humanos, são pessoas quebradas que, pela graça e só pela graça de Deus, foram redimidas. Estamos todos em um longo processo de crescimento, mudança e transformação. Nosso objetivo é nos tornarmos como Jesus. É por isso que Deus enviou o seu Espírito em nossas vidas, nos deu sua Palavra e nos colocou em uma comunidade para nos ajudar nesta jornada.
Às vezes dizemos ou ouvimos pessoas dizendo algo assim: “Este é o meu jeito de ser!”, “Não vou mudar!”, “esta é a maneira que eu sou, é pegar ou largar!” E às vezes podemos dizer ou ouvir as pessoas dizendo algo assim: “Eu não suporto ele!” ou “aquele irmão ou irmã é insuportável!” Estas expressões mostram duas atitudes erradas que não devem existir em um cristão redimido. A primeira é a aceitação de que somos de certa maneira, nós nascemos assim, ou nós crescemos assim e não vamos mudar. Isso não é verdade, o Espírito e a Palavra de Deus estão trabalhando em nós todos os dias para nos mudar. A outra atitude errada é quando não estamos dispostos a aturar os nossos irmãos e irmãs. Estamos no mesmo corpo e precisamos aprender a viver uns com os outros.
Isto é o que o apóstolo Paulo disse aos Efésios: “Antes sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.. Efésios 4:32.” Paulo usa duas palavras aqui que deveriam nos ajudar em todo este processo: bondoso e compassivo. A palavra bondoso significa: “útil, rentável; bom, agradável e fácil, como um jugo; delicado, benigno, bondoso, obrigando, graciosa, bom no caráter, disposição e virtuoso.” E a palavra compaixão significa: “compreensivo, com pena e coração sensível.”
Como podemos fazer isso? Existem alguns passos que nos ajudarão nessa jornada. O primeiro é entender que este tipo de atitude não é natural para nós, temos que aprender e cultivá-las. Isto é o que Paulo nos diz: “Antes sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. 1 Tessalonicenses 4:9.” Ele também escreveu isto: “Sempre devemos, irmãos, dar graças a Deus por vós, como é justo, porque a vossa fé cresce muitíssimo e o amor de cada um de vós transborda de uns para com os outros. 2 Tessalonicenses 1:3”. E finalmente ele escreveu isto: “e o Senhor vos faça crescer e abundar em amor uns para com os outros e para com todos, como também nós abundamos para convosco; 1 Tessalonicenses 3:12.”
O segundo passo que precisamos tomar é entender que “devemos” isso aos nossos irmãos e irmãs. A palavra dever significa obrigação de pagar. Isto é o que Paulo escreveu: “A ninguém devais coisa alguma, senão o amor recíproco; pois quem ama ao próximo tem cumprido a lei. Romanos 13:8.” Temos a obrigação de ser gentil e compassivo com o outro.
O terceiro passo é guardar a nossa boca. Ninguém pode ver o seu coração e pensamentos, mas eles podem ouvir suas palavras. Isto é o que Jesus pediu a seus discípulos para fazer: “Respondeu-lhes Jesus: Não murmureis entre vós. João 6:43.” A palavra resmungar, murmurar significa: “falar em privado e em voz baixa, murmurar, proferir um descontentamento em secreto e taciturno, expressar reclamação indignada e murmurar”. Se nós pudermos disciplinar nossas bocas teremos muito sucesso nesse processo.
Finalmente, Paulo nos diz que a igreja pode nos ajudar nesta caminhada. Precisamos uns dos outros. Irmãos e irmãs podem nos ajudar a sermos bondosos e compassivos. Eles também podem nos ajudar a parar de ter atitudes erradas. Isto é o que Paulo escreveu: “Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, uns para com os outros, e para com todos. 1 Tessalonicenses 5:15.” Ele colocou parte da responsabilidade nas mãos da igreja. Devemos ajudar nossos irmãos e irmãs a parar de fazer as coisas erradas e em vez disso começar a ser bondosos e compassivos uns aos outros.
Eu sei que alguns irmãos ou irmãs são difíceis de engolir, mas eles precisam crescer e você precisa crescer. Ore para que o Senhor te capacite a ser bondoso e compassivo para com o outro.
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas