terça-feira, 5 de julho de 2016

Voluntários do Reino ou servos do Reino

Um dos maiores desafios que toda igreja enfrenta é encontrar voluntários para ajudar no Ministério. Se você falar com qualquer pastor, líder, diretor de jovens, Presidente de Comitê, equipes de Ministério, grupos de homens e grupos de mulheres, você vai encontrar a mesma queixa: “Precisamos de mais pessoas para nos ajudar.” Sim, a igreja precisa de mais pessoas para cumprir seu ministério.
A solução é convidar voluntários para fazer o trabalho. Como você sabe, isso é um desafio. Sempre ouvimos que as pessoas querem ser convidadas a assumir posições ou fazer tarefas. O problema é que isso dá à pessoa a oportunidade de dizer não, o que complica ainda mais a situação.
Voluntário é uma palavra muito interessante que às vezes não entendemos bem. É assim que os dicionários definem esta palavra: “uma pessoa que se oferece livremente para tomar parte em um empreendimento ou realizar uma tarefa. Uma pessoa que trabalha sem ser paga para fazê-lo. Uma pessoa que voluntariamente se compromete ou expressa o desejo de realizar um serviço.” Como você pode ver, há dois aspectos de um trabalho voluntário, de acordo com esta definição. Uma é que a pessoa faz isso de graça. O outro, muito importante para nosso ponto aqui é que a pessoa livremente se oferece, ou voluntariamente compromete-se ou expressa o desejo de realizar uma tarefa.
Como você pode ver, na maioria das vezes, se as pessoas querem obter ajudantes, eles precisam caçar pessoas para ajudá-los. Eles pedem, imploram, choram, eles insistem, e na maior parte do tempo não conseguem o que eles gostariam de ter.
É importante para nós entendermos que estamos em um reino. Não há nenhum voluntário. Somos todos servos. Cristo é o rei, e nós somos os trabalhadores. Algumas pessoas não sabem como trabalhar, e eu entendo isso. Isto pode ser resolvido com treinamento, oficinas ou apenas observando o trabalho de alguém. Algumas pessoas não são chamadas para fazer certas obras o que também é compreensível, por isso precisamos aprender sobre ministérios e dons espirituais. Mas algumas pessoas simplesmente não querem fazer nada, e isso é totalmente errado.
É por isso que Jesus pediu aos apóstolos para orar por trabalhadores. Aqui está o texto: “Então disse a seus discípulos: Na verdade, a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.” Mateus 9:37-28.”
Não devemos procurar por voluntários, mas por servos/trabalhadores. Somos todos servos. Se houver uma necessidade devemos orar sobre isso e ao mesmo tempo fazer alguma coisa. Se você não sabe como fazê-lo, peça ajuda. Se você não é chamado para fazê-lo, ajude a encontrar alguém que é, mas enquanto isso, FAÇA!
A Igreja vai crescer e cumprir o seu ministério, quando cada um de nós decidir encontrar uma necessidade e oferecer para ajudar e trabalhar.
Tenha uma semana abençoada,

Pastor Lucas

2 comentários:

Kevin Yoho disse...

Hello Lucas,
Thank you for this post. I teach Vocation, Calling, and their Purpose of Work at www.cityvision.edu. My students often ask about volunteering, and how to correctly manage volunteers. A prevailing assumption is that since they are "just volunteers," we shouldn't expect much and take what we can get. There is no distinction in mission value whether delivered by volunteers or paid staff. You are absolutely correct. What must be nurtured in our leadership development is the priority of calling, a life's mission. Then, the Lord of the Harvest can deploy workers, whether "paid" or "volunteer," to gather the ready harvest with energy, intelligence, imagination, and love.

Thanks, again, for your well-written plea for passionate leaders, inwardly motivated to achieve God's work in the world.

All the best,
Kevin

Rev. Dr. Kevin Yoho,
Www.reciprocalrevo.com

Comunidade Evangélica Boston disse...

Maravilhoso artigo pr Lucas. Eu iniciei o ministério em Barra do Piraí, RJ, certa vez perguntei com um maestro o que fazer com a música na igreja? Ele me deu um conselho, "esquece os adultos e investe nos adolescentes, amahã eles serão seus músicos".

Realmente fiz isso, temos 3 congregações em Barra do Piraí, os músicos e líderes que tenho foi aquela geração de adolescente que me dediquei. Estou aqui em Boston por alguns anos, a área que tenho mais voluntários e poucos problemas foram os adolescentes de 13 anos passados, eles simplesmente servem e seguem. Antes de que eu venha pedir eles já estão realizando, eles sabem para onde estamos indo.

Um abraço